Exército Brasileiro


EXÉRCITO BRASILEIRO – PROTEÇÃO DAS FRONTEIRAS INTERNACIONAIS

A Estratégia Nacional de Defesa, aprovada em 2008 e revista e atualizada em 2012, afirma que a proteção das fronteiras é peça vital para a soberania nacional. Por isso mesmo, figura explicitamente no rol das responsabilidades constitucionais do Exército Brasileiro (EB). Com base nesta orientação, a Fundação Ezute decidiu de forma voluntária trabalhar num delineamento dos processos e métodos cuja adoção e implementação seria necessária ao cumprimento da importante missão.

As linhas mestras do projeto foram apresentadas ao comando da Força no primeiro semestre de 2010 e, após adaptação ao calendário e métodos próprios de trabalho do Ministério da Defesa, foi incorporado ao elenco dos projetos estratégicos permanentes do EB – atualmente conhecido como SISFRON. Articulado em todos os níveis com o SIVAM, adotado pela Força Aérea Brasileira a partir de 1997, e do SIsGAAz, sob a responsabilidade da Marinha do Brasil, o plano de proteção das fronteiras terrestres contém as linhas básicas de como será possível alinhar as tecnologias mais atualizadas na área de processamento de grandes massas de informação com a presença física dos dispositivos de vigilância e de ação já existentes no arsenal do EB.

A Fundação Ezute foi contratada para garantir com sua experiência o melhor resultado no esforço para obter e dominar os recursos técnicos indispensáveis ao exercício da plena soberania no monitoramento das fronteiras.