Em abril deste ano, a Fundação Ezute participou da execução de testes a bordo do Riachuelo, primeiro da classe de submarinos com propulsão diesel-elétrica do Programa de Desenvolvimento de Submarinos (PROSUB). Os testes aconteceram durante navegação do submarino pelo litoral sul do Rio de Janeiro.

Ao todo, 4 unidades estão em produção em Itaguaí por meio da parceria estratégica entre Brasil e França.

Esse evento é um marco para a Ezute, que atua no PROSUB desde 2011 como absorvedora de conhecimento e tecnologia ligadas à engenharia de sistemas, desenvolvimento de software e integração do Sistema de Combate do submarino.

O Engenheiro de Sistemas da Fundação, Robson Cáceres, foi o representante da organização nesses testes, que compreendem uma fase importante de aceitação do submarino por parte da Marinha do Brasil.

“Para nós da Ezute, a participação na execução destes testes mais recentes atesta a capacidade obtida pelos colaboradores em fases anteriores do projeto, tanto no Brasil quanto na França, permitindo o emprego da experiência que adquirimos neste importante marco do projeto de transferência, no qual nos relacionamos diretamente com a Naval Group e a Marinha do Brasil”, explica.

 Robson conta ainda que a execução das atividades em um ambiente tão restrito como um submarino forneceu uma visão abrangente, tanto do comportamento dinâmico do Sistema de Combate, quanto de outros sistemas do submarino.

“Vivenciei na prática a rotina e as adequações às restrições de bordo. Também pude acompanhar a alta capacitação da tripulação do submarino“.

 Além da participação da Ezute, as atividades de testes contaram com profissionais provenientes da Marinha; de engenheiros do estaleiro de construção; e da própria detentora da tecnologia, a empresa Naval Group.

Escopo de trabalho da Ezute

A Fundação foi contratada pela empresa francesa Naval Group para atuar na Transferência de Tecnologia (ToT); na Transferência de Conhecimento (ToK); e Produção de Conteúdo Local referente ao Sistema de Combate que, por sua vez, possui diversos outros sistemas compreendidos em sua composição.

Desde 2011, a Ezute atuou em atividades técnicas de projeto, desenvolvimento e integração, tanto no Brasil quanto na França, nas áreas de engenharia de Sistemas, de Integração e de Software.

Atualmente, a Fundação também atua na instalação da infraestrutura, cabeamento, instalação de equipamentos, execução de Setting to Work, atividades de integração, testes e validação dos sistemas que compõem o Sistema de Combate na plataforma de integração em solo, o SIF (Shore Integration Facility) na Base de Submarinos da Ilha da Madeira.

Skip to content