2
jul

CASNAV assina contrato de serviços técnicos com Fundação Ezute em projeto do Submarino Riachuelo

CASNAV assina contrato de serviços técnicos com Fundação Ezute em projeto do Submarino Riachuelo

Submarino Riachuelo. Foto: Marinha do Brasil

O Centro de Análises de Sistemas Navais (CASNAV) assinou, em 25 de junho, contrato com a Fundação para a realização de serviços técnicos especializados em apoio à Fase de Planejamento da Avaliação Operacional do Submarino Classe “Riachuelo” (PAOS), envolvendo o Sistema de Combate (SC).

A contratação da Fundação foi realizada em razão do know how adquirido na Transferência de Tecnologia e de Conhecimento (ToT e ToK – Transfer of Tecnology e Transfer of Knowledge) dos pacotes de engenharia do Sistema de Combate do Submarino Classe “Riachuelo”, proporcionado pela Naval Group desde 2011.

A Avaliação Operacional (AO) é uma das etapas do processo de obtenção de meios, que ocorre após a aceitação contratual do primeiro exemplar da classe. Contempla cinco etapas:

· Fase 1 – Definição do Problema;

· Fase 2 – Planejamento;

· Fase 3 – Execução;

· Fase 4 – Apresentação dos Resultados; e

· Fase 5 – Projeto de Exercícios Operativos.

No presente momento, o projeto encontra-se na Fase 2 (atual contratada), que é composta por uma série de passos e atividades de natureza eminentemente técnica para traduzir as capacidades operacionais requeridas em Medidas de Eficácia Operacionais (MEO). Nesta Fase é definido o plano de avaliação multidisciplinar que envolve a análise das tarefas, ameaças e cenários; estudos de descrição dos sistemas embarcados no Submarino da Classe “Riachuelo”; estruturação do plano de avaliação; bem como a descrição dos procedimentos dos experimentos (Testes Exploratórios) e os planos de análise a serem contemplados na Fase 3.

Estes testes deverão ser conduzidos em condições de operação do sistema da forma mais real possível, visando à coleta de dados de interesse para a avaliação do desempenho do submarino. Também serão identificados aspectos da Avaliação Operacional do S-BR que poderão fornecer subsídios para o projeto do Submarino com Propulsão Nuclear (SN-BR), especialmente no que diz respeito à verificação dos recursos de gravação e de extração de dados existentes do S-BR e sua pertinência para o refinamento do projeto do SN-BR.

Já a Fase 3 compreende a condução dos experimentos, idealizados na Fase de Planejamento, com o sistema operando em condições o mais próximo possível da realidade, além da realização das simulações previstas.

O propósito da Fase 4 é analisar os dados obtidos durante a realização dos experimentos na Fase 3 e fazer chegar às mãos das organizações dos Setores Operativo e de Material todos os resultados alcançados no processo da Avaliação Operacional.

A Fase 5 do S-BR consiste na elaboração de uma Coletânea de Projetos de Exercícios Operativos que serão utilizados para acompanhar, continuamente, o desempenho operacional do submarino ao longo da etapa de operação do ciclo de vida.

“A Fundação Ezute se sente honrada em contribuir para a construção da Fase de Planejamento da Avaliação Operacional, possibilitando a aplicação e a multiplicação dos conhecimentos adquiridos no sistema de combate do Submarino Classe “Riachuelo” na MB e na própria Fundação”, comenta Delfim Miyamaru, diretor presidente da Fundação Ezute.

6
Maio

Fundação Ezute entrega SIGARH para o Estado do Paraná e dá início a nova etapa do projeto

Fundação Ezute entrega SIGARH para o estado do Paraná e dá início a nova etapa do projeto

 

  • Novo Sistema de Informações para Gestão Ambiental e de Recursos Hídricos (SIGARH) contribui para desburocratização do Estado, modernizando os procedimentos e oferecendo aos órgãos gestores serviços integrados e de maior alcance;
  • Para o cidadão, possibilita a substituição do papel por meios eletrônicos, o acesso às informações via internet, maior confiabilidade dos dados, rapidez na liberação de processos e redução de custo;
  • Novo sistema para aprimoramento operacional da gestão de recursos hídricos já está em andamento.

Represa de Capivari – PR – Flickr Rodrigo Vasconcellos

A Fundação Ezute entregou ao Estado do Paraná o Sistema de Informações para Gestão Ambiental e de Recursos Hídricos (SIGARH), que integra um grande programa de modernização dos processos da outorga de uso dos recursos hídricos, monitoramento e aprimoramento operacional dos mesmos e gestão de bacias hidrográficas.

Com financiamento do Banco Mundial e desenvolvido e implementado pela Fundação Ezute, o SIGARH é um sistema de informações corporativas, voltado para operação e gestão ambiental e dos recursos hídricos na abrangência do Estado do Paraná. Construído para ser um sistema de informações e de apoio eficientes, com uma quantidade de dados para armazenamento bastante significativa, o SIGARH é descentralizado e integrado com outros sistemas, garantindo uma gama de serviços e informações disponíveis na internet. Suas informações são armazenadas de forma estruturada, organizada, com integridade e segurança de acesso garantidas.

O novo sistema, que já está em operação desde o início do ano e será disponibilizado de forma mais abrangente para o público em maio, contribui com a desburocratização do Estado, modernizando os procedimentos e oferecendo aos órgãos gestores serviços integrados e de maior alcance. Para o cidadão, possibilita a substituição do papel por meios eletrônicos, o acesso às informações via internet, maior confiabilidade dos dados e rapidez na liberação de processos.

“O projeto faz parte da estratégia de governo para a transformação digital, especialmente na área ambiental. Temos de dar uma resposta para a sociedade paranaense, especialmente para o setor produtivo, de agilidade, transparência e segurança jurídica na emissão de diplomas legais que são demandados por esse setor. Além disso, com o sistema vamos emitir outorga de recursos hídricos com papel zero. Isso nos permitirá dar dispensas automáticas de outorga, por exemplo. Com o SIGARH será mais fácil fazer a gestão dos recursos ambientais e dos recursos hídricos”, explica Everton Luiz da Costa Souza, Diretor-presidente do Instituto Água e Terra, órgão do Governo do Paraná que gerencia a implantação do SIGARH.

DESDOBRAMENTOS DO SIGARH E NOVO CONTRATO 

Dando continuidade ao projeto, a Fundação Ezute assinou, recentemente, um novo contrato com o Instituto das Águas do Paraná, que tem como objetivo o aprimoramento operacional da gestão de recursos hídricos do Estado, abrangendo: concepção, desenho, desenvolvimento e implantação da primeira versão do Sistema Integrado de Gestão Ambiental (SIGA), com prazo de execução de oito meses.

“O projeto ajudará o Estado a crescer. Alguns processos mais simples serão emitidos automaticamente pelo sistema, sem análise técnica. Documentos que levavam meses para serem emitidos serão obtidos de forma automática. Antes era tudo manual, então havia muita demora e inconsistência. O novo contrato prevê algumas melhorias em cima da nova versão. Durante o desenvolvimento do sistema, percebemos que eram necessárias outras ferramentas, por exemplo, a necessidade de uma funcionalidade para que o usuário possa desistir do processo físico e entrar no eletrônico”, explica Jaqueline Dorneles de Souza, Diretora do Núcleo de Inteligência Geográfica e da Informação do Instituto Água e Terra.

O escopo do projeto permitirá a ampliação e a complementação das funcionalidades dos subsistemas existentes (modernização do SIGARH) para integração de dados legados e atendimento às novas demandas legais do Estado referente à gestão de recursos hídricos.

“O SIGARH permite a operacionalização de praticamente todos os instrumentos de gestão da Política Nacional de Recursos Hídricos e possibilitará ao Estado do Paraná desburocratizar processos, ter mais eficiência e maior transparência nesse setor. Composto por 7 Subsistemas integrados, acreditamos que o SIGARH seja a maior e mais abrangente solução para gestão de recursos hídricos do País. O sistema foi construído atendendo aos padrões tecnológicos do Estado do Paraná, sua arquitetura modular permitirá ao Estado a rápida ampliação de suas funcionalidades quando necessário. Mais uma vez, a Fundação Ezute colocou em prática sua missão e seu propósito e quem ganha com isso é a população, que terá acesso a serviços de qualidade com rapidez”, finaliza Leonardo Guimarães Lopes, gerente do projeto SIGARH na Fundação Ezute.

13
nov

Ezute comemora um novo marco no projeto de PPP da iluminação pública de Timbó (SC)

Ezute comemora um novo marco no projeto de PPP da iluminação pública de Timbó (SC)

Fundação oferece assessoria técnica para estruturação do projeto desde abril de 2019; com esse apoio, Prefeitura chega num prazo extremamente curto à fase de licitação

A Fundação Ezute está comemorando uma nova fase iniciada no Projeto de Parceria Público Privada da iluminação pública do município de Timbó (SC), que prevê a modernização, a remodelação e a melhor eficiência da iluminação pública da cidade.

A Ezute faz parte do processo desde abril de 2019, oferecendo assessoria técnica para estruturação do projeto, e a novidade celebrada é a abertura da licitação para a escolha da empresa que será responsável pela modernização e operação da iluminação pública de Timbó para os próximos 20 anos. O anúncio foi feito pela Prefeitura da cidade durante uma coletiva de imprensa, no dia 28 de outubro. O edital está publicado no site do município – https://www.timbo.sc.gov.br/licitacao/62-2019-pmt/ e será aberto no dia 2 de dezembro.

O diretor de inovação e PPPs da Fundação Ezute, Thomas Strasser, explica que esse processo de estruturação foi marcado pelo esforço conjunto dos grupos técnicos do município de Timbó e da Fundação Ezute, que, desde o início do projeto, atuaram em estrita observância à Instrução Normativa 22/2015 do TCE/SC, inclusive, consultando previamente o Tribunal para orientações técnicas sobre o desenvolvimento dos documentos para o edital.

Segundo Thomas, o lançamento do Edital de Concorrência para iluminação pública comprova que o processo foi estruturado de forma profissional e consistente, com isenção e isonomia.

“O projeto passou por audiência pública e recebeu todas as aprovações necessárias dos órgãos públicos envolvidos, chegando num prazo extremamente curto à fase de licitação. Em geral, apenas 8% dos PMIs tradicionais (Procedimento de Manifestação de Interesse) tornam-se contrato. No modelo de trabalho de PPP’s realizado pela Ezute, a possibilidade de concretização, atraindo a iniciativa privada, é muito maior, como estamos vendo aqui em Timbó”.

 Para o gerente da fundação e responsável pelo projeto, Fabio Conte, que participou da coletiva para anúncio da Prefeitura, esse é um momento muito especial para a Ezute, pois consagra um modelo capaz de alavancar muitos municípios que precisam de soluções semelhantes.

 “Com projetos desse porte, muitas cidades podem alcançar a eficiência energética, com adequação da iluminação pública e o reequilíbrio em suas contas. Tudo isso, de forma bastante ágil para a população, contando ainda com a capacitação da equipe pública, para a condução futura do contrato”, diz.

Fábio explica que o projeto da Fundação Ezute envolveu o desenvolvimento institucional da Prefeitura de Timbó, com o diagnóstico da situação fiscal e regulatória do município; a capacitação da equipe da prefeitura; a estruturação do projeto, incluindo os estudos técnicos, operacionais, jurídicos e econômico-financeiros; e o apoio nas etapas de consulta pública, audiência pública, validação do projeto com os órgãos de controle e processo licitatório

 

Sobre o novo projeto de iluminação

De acordo com o prefeito de Timbó, Jorge Kruger, o projeto prevê investimentos pela empresa vencedora da licitação na ordem de R$ 14 milhões, os quais serão empreendidos na substituição das luminárias por tecnologia Led ou superior, e irão promover melhor luminosidade nas ruas, com redução do consumo na ordem de 56%.

O edital está publicado no site do município – https://www.timbo.sc.gov.br/licitacao/62-2019-pmt/ e será aberto no dia 2 de dezembro. O certame será conduzido pelos funcionários do município com apoio da Fundação Ezute e a expectativa é que, ainda em 2019, a empresa seja escolhida.

foto – WALDEMAR ELIZIO NETO

29
out

Ezute comemora um novo marco no projeto de PPP da iluminação pública de Timbó (SC)

Fundação Ezute comemora um novo marco no Projeto de PPP da Iluminação Pública de Timbó – SC

 

Fundação oferece assessoria técnica para estruturação do projeto desde abril de 2019; com esse apoio, Prefeitura chega num prazo extremamente curto à fase de licitação

A Fundação Ezute está comemorando uma nova fase iniciada no Projeto de Parceria Público Privada da iluminação pública do município de Timbó (SC), que prevê a modernização, a remodelação e a melhor eficiência da iluminação pública da cidade.

A Ezute faz parte do processo desde abril de 2019, oferecendo assessoria técnica para estruturação do projeto, e a novidade celebrada é a abertura da licitação para a escolha da empresa que será responsável pela modernização e operação da iluminação pública de Timbó para os próximos 20 anos. O anúncio foi feito pela Prefeitura da cidade durante uma coletiva de imprensa, no dia 28 de outubro. O edital está publicado no site do município – https://www.timbo.sc.gov.br/licitacao/62-2019-pmt/ e será aberto no dia 2 de dezembro.

O diretor de inovação e PPPs da Fundação Ezute, Thomas Strasser, explica que esse processo de estruturação foi marcado pelo esforço conjunto dos grupos técnicos do município de Timbó e da Fundação Ezute, que, desde o início do projeto, atuaram em estrita observância à Instrução Normativa 22/2015 do TCE/SC, inclusive, consultando previamente o Tribunal para orientações técnicas sobre o desenvolvimento dos documentos para o edital.

Segundo Thomas, o lançamento do Edital de Concorrência para iluminação pública comprova que o processo foi estruturado de forma profissional e consistente, com isenção e isonomia.

“O projeto passou por audiência pública e recebeu todas as aprovações necessárias dos órgãos públicos envolvidos, chegando num prazo extremamente curto à fase de licitação. Em geral, apenas 8% dos PMIs tradicionais (Procedimento de Manifestação de Interesse) tornam-se contrato. No modelo de trabalho de PPP’s realizado pela Ezute, a possibilidade de concretização, atraindo a iniciativa privada, é muito maior, como estamos vendo aqui em Timbó”.

 Para o gerente da fundação e responsável pelo projeto, Fabio Conte, que participou da coletiva para anúncio da Prefeitura, esse é um momento muito especial para a Ezute, pois consagra um modelo capaz de alavancar muitos municípios que precisam de soluções semelhantes.

 “Com projetos desse porte, muitas cidades podem alcançar a eficiência energética, com adequação da iluminação pública e o reequilíbrio em suas contas. Tudo isso, de forma bastante ágil para a população, contando ainda com a capacitação da equipe pública, para a condução futura do contrato”, diz.

Fábio explica que o projeto da Fundação Ezute envolveu o desenvolvimento institucional da Prefeitura de Timbó, com o diagnóstico da situação fiscal e regulatória do município; a capacitação da equipe da prefeitura; a estruturação do projeto, incluindo os estudos técnicos, operacionais, jurídicos e econômico-financeiros; e o apoio nas etapas de consulta pública, audiência pública, validação do projeto com os órgãos de controle e processo licitatório

Sobre o novo projeto de iluminação

De acordo com o prefeito de Timbó, Jorge Kruger, o projeto prevê investimentos pela empresa vencedora da licitação na ordem de R$ 14 milhões, os quais serão empreendidos na substituição das luminárias por tecnologia Led ou superior, e irão promover melhor luminosidade nas ruas, com redução do consumo na ordem de 56%.

O edital está publicado no site do município – https://www.timbo.sc.gov.br/licitacao/62-2019-pmt/ e será aberto no dia 2 de dezembro. O certame será conduzido pelos funcionários do município com apoio da Fundação Ezute e a expectativa é que, ainda em 2019, a empresa seja escolhida.

 

Da esq. para dir. – gerente de projetos da Fundação Ezute e especialista em iluminação pública, Fábio Luiz Conte; prefeito de Timbo, Jorge Krüger; secretário de Obras, Serviços Urbanos e Agrícola, Adilson Mesch; e advogado da Procuradoria do município, Jean Museka. Foto – Waldemar Elízio

 

 

 

 

3
out

Revista Prefeitos e Gestões traz reportagem com Fundação Ezute sobre “ACORDOS DE COOPERAÇÃO EM SANEAMENTO PARA BLOCOS DE MUNICÍPIOS”

Revista Prefeitos e Gestões traz reportagem com Fundação Ezute sobre “ACORDOS DE COOPERAÇÃO EM SANEAMENTO PARA BLOCOS DE MUNICÍPIOS”

A Revista Prefeitos e Gestões desse mês traz reportagem com Fundação Ezute sobre “ACORDOS DE COOPERAÇÃO EM SANEAMENTO PARA BLOCOS DE MUNICÍPIOS”. A notícia fala sobre os acordos de estruturação de projetos que foram realizados pela fundação nos estados do Piauí e Santa Catarina.

Ambos os projetos são custeados pelos recursos captados pela Fundação Ezute junto à  iniciativa privada. Este modelo inovador garante total isenção ao processo e promove o apoio ao poder público, não só na estruturação do projeto, como também em todas as etapas do ciclo de vida dos empreendimentos.

Leia na íntegra – PREFEITOS_GESTOES_THOMAS_JUL_AGO_2019

19
set

Acesso a vpn

Link para download do manual da VPN

Manual de configuração

Link para download dos arquivos

VPN Ezute

Link para manual E-Token (Sem necessidade da VPN)

E-Token

 

 

23
mar

EDUARDO MARSON NO SEMINÁRIO DEFESA NACIONAL: UMA AGENDA ESTRATÉGICA

EDUARDO MARSON NO SEMINÁRIO DEFESA NACIONAL: UMA AGENDA ESTRATÉGICA

Eduardo Marson moderou o painel “O papel da Base Científico-Tecnológica e Industrial de Defesa para o desenvolvimento nacional” do Seminário Defesa Nacional: uma agenda estratégica. O evento ocorreu no dia 14 de março, em Brasília, e foi organizado pela Secretaria Especial de Assuntos Estratégicos, ligada à Secretaria-Geral da Presidência da República.


Crédito da imagem: @Urbanphotosdf

 


Crédito da imagem: @Urbanphotosdf

 

27
jan

Olá, mundo!

Bem-vindo ao WordPress. Esse é o seu primeiro post. Edite-o ou exclua-o, e então comece a escrever!